Muitas pessoas que sofrem de enxaquecas têm falta de Q10 e vitaminas

Muitas pessoas que sofrem de enxaquecas têm falta de Q10 e vitaminasUm estudo demonstrou que muitas crianças e jovens que sofrem de enxaquecas têm falta de coenzima Q10 e de várias vitaminas. Embora seja necessária mais investigação antes de se tirarem conclusões, a verdade é que estudos anteriores mostraram que a suplementação de Q10 pode ter um efeito positivo nas enxaquecas. Porque a enxaqueca é comum em crianças e adultos, naturalmente que o indicado é dar mais atenção à causa subjacente e compensar eventuais carências.

As enxaquecas afectam cerca de 15% da população, incluindo uma em cada oito crianças. Pensa-se que a doença tem um custo de milhões por dias de trabalho e de escola perdidos todos os anos, razão pela qual faz todo o sentido descobrir formas eficazes de reduzir o risco de enxaquecas e o sofrimento que envolvem. Há sinais de que parte da explicação poderá ser a falta de Q10 e de diversas vitaminas.

Carências e suplementos

Segundo um estudo, uma grande percentagem de crianças e adolescentes com enxaquecas tem falta de vitamina D, vitamina B2 (riboflavina) e Q10, uma substância envolvida na renovação energética em todas as células. A Dra. Suzanne Hagler, do Cincinnati Children’s Hospital Medical Center, nos Estados Unidos, que coordenou o estudo, afirma que são precisos mais estudos para concluir se os suplementos de Q10 e vitaminas são uma terapêutica eficaz e se os doentes com carências reais são mais susceptíveis de beneficiar com estes suplementos.
A Dra. Hagler recolheu informação de uma base de dados de pessoas que sofriam de enxaquecas que, segundo o centro de cefaleias do hospital, tinham feito análises ao sangue para vitamina D, vitamina B2, ácido fólico e Q10. Segundo investigação anterior, estes nutrientes estavam envolvidos nas enxaquecas, embora com resultados divergentes. Muitas das pessoas que sofrem de enxaquecas receberam medicação preventiva para as enxaquecas, bem como suplementos vitamínicos nos casos em que havia carências. Contudo, como foram relativamente poucos os participantes a quem foram administrados suplementos vitamínicos, não foi possível aos investigadores apurar se os suplementos foram, de uma maneira geral, eficazes na prevenção das enxaquecas.

Q10 e o consumo de energia pelo cérebro

Q10 tem uma participação activa na renovação de energia de todas as células, e só o cérebro consome cerca de 20 por cento da energia do organismo. Daí o cérebro precisar de grande quantidade de Q10, apesar de só pesar cerca de 1300 gramas.

A diferença entre sexos na falta de Q10 e vitaminas

Segundo o estudo de Suzanne Hagler, as adolescentes e mulheres jovens eram mais susceptíveis de terem falta de Q10 do que os adolescentes e homens jovens. Por outro lado, os adolescentes e homens jovens eram mais susceptíveis de terem níveis baixos de vitamina D. Foi difícil apurar a falta de ácido fólico. Todavia, os doentes com enxaquecas crónicas tinham mais tendência para falta de Q10 e vitamina B2, comparativamente aos doentes que apenas tinham enxaquecas transitórias.

Suplementos de elevada dose de Q10 podem diminuir em 50% o número de dias com enxaquecas

Estudos anteriores demonstraram que os suplementos de elevada dose de Q10 têm um efeito positivo nas enxaquecas. Num estudo aberto, em que foram administrados aos participantes 150 mg diários de Q10, 61 por cento dos doentes notaram que o tratamento reduzia em mais de 50% o número de dias com enxaquecas. Num estudo duplamente cego, controlado com placebo, realizado no Hospital Universitário de Zurique, Suíça, foram administradas aos participantes doses mais elevadas de Q10 (3 x 100 mg). Neste, também se observaram menos crises e menos dias com enxaquecas.
Como já foi referido, não é invulgar as crianças que sofrem de enxaquecas terem também falta de Q10. Isso mesmo ficou patente num estudo publicado, em 2007, na publicação científica Headache. O estudo demonstrou inclusivamente que a suplementação de Q10 durante três meses aumentou os níveis séricos de Q10 no organismo e levou a uma redução significativa da gravidade e da duração das crises de enxaquecas. Como o Q10 é um composto que o organismo tem dificuldade em absorver, é importante optar por uma formulação que seja fabricada de tal modo que cada molécula de Q10 consiga atravessar a membrana intestinal e chegar à corrente sanguínea. Alem disso, deve existir documentação relativa à biodisponibilidade e qualidade da formulação.

Nas enxaquecas, é importante prestar atenção aos factores precipitantes, como seja:

  • Alimentos que contenham histamina ou libertadores de histamina, como queijo, vinho tinto, alimentos em conserva ou fumados, chocolate e glutamato monossódico
  • Stress e tensão
  • Hipoglicemia e desidratação
  • Ambientes com muito fumo ou mal ventilados
  • Pílula anticontraceptiva e alterações hormonais – p. ex., puberdade e menopausa
  • Luz solar intensa e campos electromagnéticos de computadores, televisores, etc.

Bibliografia:

Cincinnati Children’s Hospital Medical Center: Many with migraines have vitamin deficiencies, says study. Science Daily 2016

http://www.hovedpineforeningen.dk/laes-artikeler-om-born-og-unge/items/hovedpine-hos-born-og-unge-kan-og-skal-behandles.html

Hershey et al. Q10 and migraine. Headache 2007

Sandor P.S. et al., Q10 and Migraine. Neurology 2005

Pernille Lund: Q10 – fra helsekost til epokegørende medicin

http://www.netdoktor.dk/sygdomme/fakta/migraene.htm

healthandscience.eu

Simmerstedvej 201
DK 6100 Haderslev
CVR DK17643347