Q10 e selénio aumentam o IGF-1 nos idosos

- contribuindo assim para menos casos de morte cardíaca

Q10 e selénio aumentam o IGF-1 nos idososQ10 e selénio são antioxidantes potentes, fundamentais para o coração, sistema cardiovascular e para a renovação energética. À medida que envelhecemos, a nossa síntese endógena de Q10 diminui, e são muitas as pessoas com falta de selénio. Um estudo sueco demonstrou que as pessoas de mais idade que tomam suplementos de Q10 e selénio têm uma taxa de mortalidade cardíaca 50 por cento inferior. Outro estudo sueco (mais recente) mostra que Q10 e selénio também aumentam os níveis de IGF-1 das pessoas mais velhas, uma hormona com muitas funções no organismo, que os cientistas presumem reduzir o risco de morte cardíaca nessas pessoas.

IGF-1 (factor de crescimento 1 idêntico á insulina) é uma hormona peptídica com, entre outras coisas, efeito idêntico à insulina e com uma função no crescimento celular e na síntese proteica do tecido muscular. O IGF-1 também é um antioxidante e intervém nos processos anti-inflamatórios. O IGF-1 que circula no sangue é produzido pelo fígado, mas também é produzido localmente noutros tecidos. A produção de IGF-1, pelo organismo, diminui com a idade, o que pode afectar muitas funções metabólicas e da síntese proteica do tecido muscular, incluindo o músculo cardíaco. A produção de IGF-1 também diminui com inflamação e doença cardiovascular avançada. Foi, por isso, claro para os investigadores suecos prosseguir um estudo anterior (KiSel-10) e analisar de que modo os suplementos de selénio e Q10 afectavam a produção de IGF-1 em idosos.

A associação de selénio e Q10 é extremamente relevante

O estudo, coordenado por Urban Alehagen, cardiologista da Universidade de Linköping, na Suécia, mostrou que a associação de selénio e Q10 é extremamente relevante. Q10 é uma coenzima que intervém na renovação energética das células. À medida que envelhecemos, diminui a capacidade do organismo de produzir Q10, o que afecta especialmente órgãos como o coração, que é altamente dependente de energia. Sucede, também, que 90% da população sueca têm falta de selénio. Este oligoelemento tem muitas funções essenciais no organismo, e é fundamental para o Q10 funcionar devidamente na renovação energética nas células. Além disso, tanto o Q10 como o selénio são antioxidantes potentes, que protegem o coração e o sistema cardiovascular contra os radicais livres e o stress oxidativo.
Convém esclarecer que, em geral, o solo agrícola europeu é muito pobre em selénio, pelo que a carência de selénio é um problema generalizado na Europa.

Sabia que a doença cardiovascular é a maior causa de morte entre os idosos?

Q10 e selénio aumentam o IGF-1 e melhoram a saúde cardíaca

No estudo participaram 215 idosos que foram divididos em dois grupos, com correspondência de sexo, idade, estado de saúde, toma de medicação, etc. Um grupo recebeu 200 miligramas de Q10 e 200 microgramas de selénio por dia, ao passo que o outro grupo recebeu placebo correspondente. O estudo durou quatro anos, e nem os participantes nem os investigadores sabiam quem estava a tomar o quê, visto que era um estudo controlado com placebo, aleatório e duplamente cego.
Durante o estudo, foi medida a tensão arterial dos participantes, que também fizeram ecocardiograma para avaliar a função cardíaca. Além disso, colheram-se amostras de sangue para doseamento da concentração sérica de IGF-1.
Ab initio não se verificaram diferenças significativas nos níveis séricos de IGF-1 nos dois grupos. Contudo, no fim do estudo de quatro anos, os participantes do grupo que tomou Q10 e selénio apresentavam aumento do nível de IGF-1, que era consideravelmente mais elevado do que no grupo placebo (neste, o nível tinha baixado, como se esperava). O grupo que tomou Q10 e selénio também apresentava níveis bastante mais elevados de proteína que se liga ao IGF-1, daí chamar-se proteína de ligação ao factor de crescimento 1 idêntico à insulina (ou IGFBP-1).
Vários estudos anteriores mostraram que as pessoas com doença cardíaca isquémica e oclusão coronária têm valores mais baixos de IGF-1. Segundo os especialistas, níveis baixos de IGF-1 têm valor prognóstico de desenvolvimento de doença cardiovascular. Daí que, com base no novo estudo, Urban Alehagen e a sua equipa de investigadores presumam haver relação entre a capacidade de Q10 e selénio de aumentarem os níveis de IGF-1 e a melhoria observada na saúde cardíaca.

O estudo KiSel-10 mostrou uma taxa de mortalidade cardiovascular 54% inferior

O novo estudo corrobora o estudo KiSel-10 anterior, que também foi coordenado por Urban Alehagen. Este estudo foi realizado com 443 homens e mulheres saudáveis, com idades entre 70-88 anos. Um grupo recebeu 200 miligramas de Q10 e 200 microgramas de levedura de selénio por dia, ao passo que o outro grupo recebeu placebo correspondente. Os participantes foram medidos e pesados, e fizeram-se os respectivos registos, de seis em seis meses.
O estudo mostrou que as pessoas que tomaram Q10 e selénio apresentavam um risco de mortalidade cardiovascular 54% inferior e menos internamentos. O estudo mostrou também que o grupo que tomou Q10 e selénio tinha função do músculo cardíaco consideravelmente melhor, o que também contribuiu para melhor qualidade de vida e maior esperança de vida.

O efeito protector no coração perdura muitos anos

Dez anos depois de concluído o primeiro estudo KiSel-10, Urban Alehagen e a sua equipa observaram que o efeito protector no coração perdurava muitos anos após a conclusão do estudo. Nos participantes do estudo que integraram o grupo que recebeu os dois nutrientes pelo período de quatro anos, a mortalidade cardiovascular ainda era 50% inferior à dos participantes que receberam placebo. O efeito positivo, muito provavelmente, será ainda maior se as pessoas continuarem a tomar os dois suplementos (após conclusão do estudo).

Investigação em pessoas saudáveis – novas perspectivas

O estudo KiSel-10 e o de seguimento são verdadeiramente únicos, na medida em que ambos os estudos se concentram em pessoas saudáveis e de que modo se pode viver saudável e mais tempo.

Referências bibliográficas:

Urban Alehagen et al. Increase in insulin-like growth factor 1 (IGF-1) and insulin-like growth factor binding protein 1 after supplementation with selenium and coenzyme Q10. A prospective randomized double-blind placebo-controlled trial among elderly Swedish citizens. PLOS ONE. June 13, 2017

Alehagen U, et al. Cardiovascular mortality and N-Terminal-proBNP reduced after combined selenium and coenzyme Q10 supplementation. Int J Cardiol. 2012

Andreassen M et all. IGF1 as predictor of all-cause mortality and cardiovascular disease in elderly population. Eur J. Endocrinol 2009

PLoS One. 2015 Dec 1;10(12)

Int J Cardiol. 2013 Sep 1;167(5):1860-6

Nutr Health Aging. 2015 Nov; 19(9):870-7.

Eur J Clin Nutr. 2016 Jan; 70(1):91-6

Niels Hertz: Hjertesund Senior. Ny Videnskab. 2012

https://www.sundhed.dk/sundhedsfaglig/laegehaandbogen/undersoegelser-og-proever/klinisk-biokemi/blodproever/igf-1/

healthandscience.eu

Simmerstedvej 201
DK 6100 Haderslev
CVR DK17643347